À esquerda, Lula se torna uma figura religiosa: “Nosso Moisés”

Entre as muitas manifestações em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dois deles tinham a religião no centro. Na tarde desta sexta-feira (6), aconteceu em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP), um comércio que logo se tornou um culto ecumênico.

No local onde o PT passou as últimas 48 horas e que traz milhares de apoiadores para fora, um carro de som foi utilizado como plataforma para várias manifestações. Um líder judeu, muito aplaudido pelos presentes, gritou: “Liberdade e justiça são valores fundamentais para nós judeus”. Se Lula está sendo injustiçado, o judeu está sendo prejudicado. Lula é o nosso Moisés! Ele formou o povo brasileiro Ele nos fez atravessar o Mar Vermelho para alcançar a liberdade! Viva Luiz Inácio Lula da Silva, Lula presidente.

No topo do carro de som estavam também os líderes católicos das religiões africanas e o pastor Ariovaldo Ramos, que tem apoiado os movimentos de esquerda continuamente desde as manifestações em favor do impeachment. Ele fundou a “Frente dos Evangélicos pelo Estado de Direito”, um grupo onde ele é o único líder evangélico com alguma expressão.

Ariovaldo tem filmado vários vídeos defendendo que Lula é inocente e que há um “golpe” em curso no país. Ele também falou, defendendo a possibilidade de desobediência civil e participou de orações ecumênicas, junto com outros líderes religiosos.

Nas redes sociais, o Partido dos Trabalhadores publicou uma “estatueta”, compartilhada milhares de vezes, em que Lula é comparada ao pastor e ativista Martin Luther King Jr. A mesma imagem mostrava a figura de Gandhi, líder político e religioso hindu da Índia. .

Lula compara os religiosos. (Foto: Reprodução / Facebook)

Condenado em primeira e segunda instância por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-presidente não se rendeu à Polícia Federal dentro do prazo estabelecido. Seus advogados negociaram com a Justiça e ficou acertado que ele iria a Curitiba no final da manhã deste sábado, depois de assistir a uma missa em memória do aniversário de sua falecida esposa Marisa Letícia, que completaria 67 anos hoje.

Transmitida pela internet, a missa passou a se chamar “culto ecumênico” e teve a participação de vários líderes políticos e religiosos. Em vários momentos, depois de ler as Escrituras, os manifestantes gritaram em coro “Lula, eu te amo” e “não se transformou em”.

A ex-presidenta Dilma Rousseff, em seu discurso durante o evento, comparou seu antecessor a São Francisco de Assis, declarando: “Lula é um homem de religião e um homem de fé. Ele foi inspirado por valores cristãos.

O caráter “místico” da liderança política de Lula e as mensagens claras circuladas pelos movimentos de esquerda nos últimos dias conferem ao ex-presidente um status de figura religiosa.

Tratar seus líderes como “santos” ou “discípulos” não é novidade em países governados por regimes comunistas. Exemplos disso são a adoração de Mao Zedong na China, Hugo Chávez na Venezuela e Kim Il-sung na Coréia do Norte.

Veja mais em Gospel Prime – Brasil

Comentários

comentários

Você pode gostar...