Operação Caifás: Padres são presos por desvios de R $ 2 milhões da Igreja Católica

Nomeado para a Operação Caifás, uma ação do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) contra desvios de recursos na Igreja Católica prendeu o Bispo de Formosa, Dom José Ronaldo, quatro padres e um monsenhor.

Solta na manhã desta segunda-feira (19) a operação operada nas cidades de Posse, Formosa e Planaltina. Existem 13 penas de prisão e 10 ordens de busca e apreensão. Diligências serão realizadas em residências, igrejas e um mosteiro.

O esquema desviou dinheiro de dízimos, doações, angariação de fundos para festas, bem como taxas de eventos, como batismos e casamentos. O cálculo do MP é que o desfalque é superior a R $ 2 milhões.

O promotor de justiça Douglas Chegury, um dos responsáveis ​​pela operação, disse que caminhões de caminhões foram apreendidos em nomes de terceiros, além de uma grande quantidade de dinheiro em espécie.

As investigações começaram por que os fiordes informaram que os começos começaram em 2015. No final 2017, as despesas da casa do bispo em Formosa, onde mora o bispo, saltaram de R $ 5 mil para R $ 35 mil depois que Dom José Ronaldo o post.

“O que temos certeza é que as contas domésticas não fecham. Então, queremos abrir as contas públicas da casa [administração da diocese] e as despesas da casa episcopal “, diz uma mulher fiel, que não quis se identificar. Com informações G1

Comentários

comentários

Você pode gostar...